Os nove tipos de revisores

Post sobre revisão por pares publicado no blog do Matt Might.

É tão genial e realista, que não preciso comentar. Leia e divirta-se, rs:

http://matt.might.net/articles/peer-fortress/

Há também uma versão em português:

https://galoa.com.br/blog/peer-fortress-o-campo-de-batalha-cientifico

#quemnunca

Anúncios

2 opiniões sobre “Os nove tipos de revisores

  1. Olá Marco,

    estou para comentar no teu blog há tempos. O descobri através de um comentário teu no Pós-Graduando, e devo dizer que a surpresa foi mesmo muito boa. O conteúdo que produz é excelente, só lamento não poder comentar em alguns posts respectivamente pois são antigos, e os comentários estão desativados.

    Por exemplo, acabo de reler o post sobre mimimi, já o tinha feito antes e adorado. É dos meus preferidos! Com a frase do Rocky então, fez todo o sentido. Reli-o porque precisava novamente de um gás, após ter um artigo rejeitado essa semana sem grandes explicações. Gostaria de ter tido um direcionamento, mas nem isso. Então vou eu mesma analisá-lo e correr atrás. Gostaria de dizer que é interessante como aqui um post leva a outro, não me canso de ler o que tu escreve, tem a escrita leve, algo que realmente nos faz querer ir até o fim. Há um entusiasmo por trás das suas palavras que me faz ter outra vez vontade de me juntar ao mundo acadêmico e científico. Após o mestrado, abandonei parte das minhas conquistas, joguei o Lattes pra lá e qualquer comentário sobre a carreira me enlouquecia. Já estava indo vender minha arte na praia…

    Precisava de um tempo, sabe, e retomei aquela caminhada há pouco. Acho que tinha pressa de crescer, de ser reconhecida, e percebo que só se chega lá com muito trabalho, muito mais do que eu estava disposta. Com as leituras dos seus posts, consigo, hoje, enxergar muitos pontos onde errei e até traçar as causas do estresse que passei. Acho que precisava amadurecer e sobretudo, baixar a bola. Obrigada por me iluminar, tenho certeza que não ajuda só a mim.

    Tudo de bom pra você, sempre. Tô sempre de olho no que escreve aqui. Abraços!

    P.S.: quanto aos revisores, acho que identifiquei o que rejeitou meu artigo hahah! Vale as risadas.

    • Cara Paty, primeiro, muito obrigado por ser leitora do blog e desculpe pelo inconveniente com os comentários. Eu limitei essa ferramenta ano passado depois de ter muito estresse com haters, trolls, spammers, fanboys e cheerleaders partidárias. Ainda preciso meditar muito para superar meus instintos primatas e focar a minha mente mais nos lovers do que nos haters, rs. Bom, quanto ao seu testemunho, é bem assim mesmo: fazer ciência não é fácil e se tornar cientista profissional é mais difícil ainda. Mas eu, pessoalmente, acho essa a profissão mais linda do mundo (depois do produtor de bacon e do cervejeiro, é claro, rs). Sugiro a você ler o livro “The hero with a thousand faces”, escrito por Joseph Campbell, e verá muitos paralelos com a carreira acadêmica. Para te ajudar com a resposta à peer review e com uma nova submissão, sugiro ler esses dois posts linkados na frase anterior. Boa sorte em sua carreira! Não desista: se você quer mesmo ser cientista, deve ser a primeira a acreditar e lutar por seu sonho.

Os comentários estão desativados.