Sobrevivendo há dez anos!

Em 2022, o nosso blog faz aniversário.

Exatamente dez anos atrás, em uma época que hoje parece outra vida, em um mundo que hoje parece outro universo, começava a jornada do Sobrevivendo na Ciência. Na verdade, a nossa jornada começou alguns anos antes, em 2007, quando publicamos os primeiros guias sobre a carreira acadêmica no antigo site do Laboratório de Síntese Ecológica.

Por sugestão de colegas, em 2012, o que eram guias viraram posts e o que era um site virou um blog. Aos poucos, os posts foram se multiplicando e seu escopo foi se expandindo. Começamos compartilhando dicas práticas sobre habilidades cruciais para exercer a profissão de cientista, como escrever um artigo e elaborar um pôster. Com o tempo, passamos a escrever também reflexões sobre a vida acadêmica, abordando temas como intercâmbios e planejamento de carreira. Tentamos ajudar desde aspiras do ensino básico que sonham em se tornar cientistas até novatos que acabaram de conquistar seu primeiro emprego acadêmico. Esse material já rendeu dois livros e ainda pensamos em publicar outros.

Quando começamos a nossa jornada, os blogossauros dominavam a Terra. Depois, a hype da divulgação científica online passou para as redes sociais, podcasts e, por fim, canais de vídeo. Hoje estamos na era dos podcasts filmados. Nosso blog, contudo, continuou fiel às suas origens, sendo uma espécie de fóssil vivo dos primórdios da Web 2.0.

Aí você, leitor, pode nos perguntar: “por que vocês não mudaram de mídia, seguindo a maré?” A resposta é simples: porque adoramos escrever. Ponto.

Além de amarmos a palavra escrita, acreditamos que ela é, sempre foi e continuará sendo vital no pequeno mundo da ciência. Logo, alguém precisa manter viva a tradição de escrever textos longos para os padrões da internet, produzidos com calma e profundidade. Textos que não se propõem a reduzir temas complexos a frases de efeito ou memes, ou que tampouco sonham em viralizar, mas cujo objetivo é comunicar ciência de forma responsável.

Não que outras mídias não sejam bem-vindas. Muito pelo contrário, precisamos de mais gente fazendo mais coisas de mais formas, pois a divulgação científica ainda está marolando aqui no Brasil. O ponto é que nós não surfamos todas as ondas que aparecem, mas esperamos o swell perfeito para nós.

Sabemos também que a nossa praia está secando e que os blogs estão morrendo lentamente. Tudo bem, nada é constante a não ser a mudança, como diriam os bróders Heráclito e Sidarta. Mesmo assim, esperamos continuar compartilhando nossa experiência com pessoas que desejam seguir a carreira acadêmica ou simplesmente querem descobrir como a ciência funciona por dentro.

Não importa o tamanho do público, pois, enquanto ainda houver uma pessoa no mar, não guardaremos as nossas pranchas. Tampouco importa a famigerada monetização, pois o nosso blog é um trabalho voluntário e continuará sendo assim. Isso nos permite manter a nossa independência, pois não precisamos agradar todo mundo o tempo todo a todo custo. Tampouco nos curvamos ao Deus Algoritmo.

Não nos entenda mal, pois achamos ótimo que hoje muita gente possa viver da divulgação científica online. Só que ganhamos o nosso pão com pesquisa e ensino. Portanto, além dessas atividades principais que são o nosso meio de vida, fazemos extensão porque acreditamos na importância de divulgar ciência. A nossa filosofia de trabalho aqui é a slow blogging, prima da risotto science, antítese da salami science. O que nos motiva não são views, likes e shares, mas um senso de missão.

Por falar em missão, se o nosso blog tem sido útil para você, conte-nos aqui nos comentários. O seu feedback é muito importante para nós. Aprendemos muito com as críticas, opiniões e sugestões civilizadas que recebemos. Essa troca também permite que o nosso contato com você, leitor, seja mais próximo. Não estamos mais presentes no crowd das redes sociais, então sobrou apenas este cantinho flat para trocarmos ideias de forma direta (além do e-mail, por mais cringe que ele seja, rs).

Por fim, queremos agradecer de coração a todos que nos acompanham desde o início e àqueles que se juntaram à nossa jornada ao longo dos anos. Não poderíamos deixar de dar um salve especial aos amigos que colaboraram diretamente com o blog, escrevendo posts a convite ou contribuindo regularmente. Mandamos também um aloha para os nossos mestres, que nos ensinaram a dropar no mar da ciência.

Juntos sobreviveremos!

“Não espere que Ítaca lhe dê mais riquezas.

Ítaca já lhe deu uma bela viagem;

Sem Ítaca, você jamais teria partido.

Ela já lhe deu tudo e nada mais pode lhe dar.”

Paulo Coelho (“O Zahir”)

Valeu & Kia ora,

Marco & Renata

A equipe do blog nos primórdios, em uma reunião na nossa sede. Foto por Renata Muylaert.

(Imagem destacada: foto por Marco Mello)

25 respostas para “Sobrevivendo há dez anos!”

  1. Ahhh, que deleite ler esse texto! Sim, um viva à “risotto science” e ao “slow blogging”. Enfim, um viva à divulgação científica para quem NÃO está com pressa (de ler, pelo menos). Difícil saber se conseguimos isso nos dias cada vez mais acelerados em que vivemos, mas: sigamos tentando.
    Já usei material daqui para discutir com colegas e estudantes e espero continuar usando. Foi aqui que consegui ver algo sobre, por exemplo, coautoria espúria – tão praticada e tão pouco discutida – dentre tantas outras coisas, como mesmo me questionar se essa era/é a carreira que deveria/devo seguir. Sigo na dúvida, com a paixão pelo conhecimento, mas meio bagunçadinha da cabeça (rs tristonhos, mas esperançosos de algum resultado, algum dia. Ah, a tal da saúde mental…).
    Enfim, muito obrigada pela persistência e resistência! E, como ninguém sabe ao certo o que a internet nos trará no futuro, e pensando em movimentos oscilatórios, acho válido imaginar que, quem sabe um dia não voltaremos a caminhar mais devagar e aproveitar mais a paisagem nesse processo?

    Curtido por 1 pessoa

    1. De nada, Laís! No fundo, somos nós que temos que determinar o ritmo das nossas vidas. Não podemos deixar os outros decidirem nossas prioridades por nós. Remar contra a maré é difícil, mas só assim a gente chega na arrebentação e pega as melhores ondas do swell.

      Curtir

  2. Eu ainda não consigo internalizar que o seu blog tem dez anos, pra mim ele tem muito mais! E como assim o meu blog é só um ano mais novo que o seu? Pra mim eles são de gerações diferentes (não estou lhes chamando de velhos, rs) 🙂

    Parabéns pela existência e resistência, vocês são uma inspiração eterna!

    Devíamos fazer uma festa de bloganiversário quando voltar a ter congressos presenciais.

    Abraços!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Quanto à idade do blog, acho que ele parece ser mais velho, porque no fundo o trabalho começou com aqueles guias que eu publicava no site do lab. Isso foi ainda na época da UFSCar, em 2007, quando nos conhecemos.

      Curtido por 1 pessoa

  3. Sou docente e pesquisadora na área de Ciências Ambientais na Universidade Federal do Piauí e acompanho “Sobrevivendo na Ciência” há bastante tempo.
    Muitas ideias, pensamentos e dicas compartilhadas nesse espaço foram (e continuam sendo) interessantes para eu refletir sobre a minha carreira e, também, em muitas ocasiões, compartilhei alguns textos com os meus orientandos; pois vi que era mais uma oportunidade de contribuir na formação dos mesmos.
    Parabéns pela sua iniciativa e, principalmente, pela dedicação que oportuniza a continuidade desse espaço.
    Desejo saúde e mais conquistas que se transformem em textos como os que publica aqui.

    Elaine Aparecida da Silva
    http://lattes.cnpq.br/4203998034603560 
    Universidade Federal do Piauí
    Depto de Recursos Hídricos, Geotecnia e Saneamento Ambiental
    PPG em Desenvolvimento e Meio Ambiente (Mestrado / Doutorado)

    Curtido por 2 pessoas

    1. Muito obrigado, Elaine! Uma das coisas mais gratificantes aqui no blog é ver os nossos textos virando uma espécie de material didático informal. Pode deixar, que continuaremos postando aqui, no nosso ritmo devagar e sempre.

      Curtir

  4. Bacana, dez anos! Parabéns!

    Só porque falaram de sugestões: seria bacana ter uma trilha de links para outros blogs de assuntos correlatos (blogroll ainda é algo que existe?).

    Sei que muita coisa na rede acaba sendo efêmera, endereços mudam, sites se reconstroem, ou desaparecem, mas acredito que deve haver um bom punhado de blogs que ainda estão rolando, por infrequentes que sejam as contribuições. Digo isso um pouco pelo meu estilo de consumo das postagens. Não sigo constantemente, vou degustando aos poucos, um post a cada par de meses.

    Enfim, um brinde à próxima década, no formato que for!

    Curtido por 2 pessoas

  5. Parabéns pelo aniversário e pelo conteúdo maravilhoso! Conheci o trabalho de vocês ainda na iniciação científica, e começo agora o mestrado com a certeza de levar muito dos ensinamentos daqui para a minha prática acadêmica. Por isso, seguirei acompanhando-os nessa mídia fossilizada rs super obrigada pelo trabalho!

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: