Sobre

Novo: conheça o livro do blog!

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


Sem obstáculos em sua mente. Sem obstáculos e, portanto, sem medo.” – Tathāgata

Descrição: este blog foi criado em 2012. Nele tenho publicado textos escritos por mim, Prof. Marco Mello, e colaboradores eventuais. A origem do blog está em pequenos manuais que eu escrevi para os meus alunos em 2007 e que, em um primeiro momento, circularam apenas internamente no meu laboratório. O que escrevo aqui são textos baseados na minha experiência pessoal. Primeiro conheça o meu ponto de vista, assim como o de outros faixas pretas; depois, quando tiver adquirido mais experiência, forme o seu próprio. Este blog contém, além de anúncios de eventos e publicações, três tipos principais de textos: (i) tutoriais para diversas atividades acadêmicas, (ii) ensaios sobre temas mais complexos e (iii) desabafos sobre problemas da academia no Brasil. Você, obviamente, não precisa concordar com as opiniões expostas aqui. Escrevi sobre esses vários temas por achar que eles não mereciam ser varridos para debaixo do tapete, como a maioria faz. Assim, quero justamente provocar a reflexão e a discussão.

Visão: cinco culturas humanas formam o principal legado da nossa espécie, pois transcendem séculos, povos e políticas: ciência, filosofia, religião, artes e esportes. Nesse contexto, a ciência é uma cultura humana focada em contrastar racionalidade contra realidade. A ciência é bela e poderosa, devendo ser aprendida através de um treinamento sólido e não por osmose.

Missão: ajudar “aspiras” a trilharem a Jornada do Cientista.

Valores: (i) curiosidade, (ii) proatividade e (iii) autonomia.

Lema: decida qual é o seu sonho, verifique o preço dele e pague-o sem choramingar.

Glossário (incluindo alguns neologismos):

  • Aspira: aspirante a cientista, ou seja, estudante de iniciação científica, mestrado ou doutorado.
  • Faixa preta: i.e., doutor; cientista que já defendeu o doutorado e pode fazer pesquisa de maneira independente.
  • Faixa vermelha-e-branca: cientista senior, que transcendeu a maturidade profissional e se tornou um grão-mestre da Academia.
  • Feral:  aspira que não conta formalmente com um orientador ou conta com um orientador omisso e, por isso, acaba crescendo sozinho no mato e voltando a um estado semi-selvagem, em que morde quem lhe estende a mão para dar conselhos ou broncas.
  • Mentor: orientador que acaba adotando academicamente um aspira por ter alta sintonia pessoal e profissional com ele, criando uma verdadeira relação mestre-aprendiz.
  • Novato: faixa preta que acaba de conseguir um emprego permanente ou estável como professor universitário ou pesquisador.
  • Orientador: faixa preta encarregado de cuidar da formação de aspiras de iniciação científica, mestrado ou doutorado.
  • Postdoc: faixa preta que trabalha como pesquisador sem ainda ter um emprego estável, sob a supervisão de outro faixa preta mais senior.
  • Supervisor: faixa preta encarregado de supervisionar o trabalho de um postdoc.

Pedido: se os tutoriais, conselhos e dicas dados neste blog te ajudarem em algum trabalho acadêmico (TCC, dissertação, tese, artigo, livro, resumo, pôster, palestra etc.), por favor, cite nos agradecimentos o meu nome e o endereço do blog. Eu não ganho dinheiro escrevendo aqui, mas gostaria de ganhar pelo menos alguns “obrigados” mais formais.

Público-alvo: aqui escrevo pensando em estudantes de graduação e pós-graduação que pretendem seguir carreira na ciência, que eu carinhosamente chamo de “aspiras” (aspirantes a cientista). Este blog não visa formar autodidatas, mas apenas servir como uma fonte de conselhos práticos vindos da minha bagagem como cientista, formador de cientistas, avaliador de cientistas e professor. Também dou conselhos para novatos que acabaram de conseguir a faixa preta (i.e., título de doutor) e estão na etapa final de sua jornada.

Loucos de internet: para postar um comentário neste blog, é preciso passar por mais de uma etapa de verificação, além de alguns filtros de segurança. Isso é proposital, para me proteger de loucos de internet. Por fim, reservo-me o direito de bloquear haters, flooders, trolls, spammers, justiceiros sociais, guerreiros de teclado, cheerleaders partidárias, fanáticos políticos, extremistas religiosos e vítimas do efeito Dunning-Kruger. Críticas, sugestões e elogios são igualmente bem-vindos, desde que feitos com educação, como se estivéssemos em uma conversa presencial. A selvageria típica da internet não tem espaço aqui neste blog.

dilbert dick the guy from the internet

Comentários: leia cada texto deste blog até o final, com atenção, antes de decidir se concorda ou discorda de alguma coisa e, principalmente, antes de fazer um comentário. Assista os vídeos abaixo para fazer um melhor proveito da internet e da vida:

Uma opinião sobre “Sobre

  1. Pingback: O que deveria ser considerado ao se montar uma banca de defesa? | Sobrevivendo na Ciência

Os comentários estão desativados.